Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial > Cavalaria
Início do conteúdo da página

Cavalaria

  • Acessos: 3299

A ARMA DE CAVALARIA

 


          Desde os primórdios, o homem busca combater o seu inimigo em melhores condições. Desse imperativo, surgiu a palavra AKVA, de origem sânscrita, cujo significado é “combater em vantagem de posição”. Na antiguidade, essa vantagem era conseguida por meio do uso de plataformas empurradas por guerreiros. Mais tarde, as plataformas foram sendo substituídas por elefantes, camelos e cavalos. Com o aperfeiçoamento das técnicas e táticas de combate essa vertente deu origem à Arma de Cavalaria. A rápida evolução tecnológica dos últimos anos, ampliou as possibilidades, por meio da agregação de inovações nas modernas plataformas de combate. Hoje, no bojo dos modernos carros de combate que, atualmente, equipam o Exército Brasileiro, ou sob as asas de helicópteros de reconhecimento e ataque, a Cavalaria continua atuando em largas frentes, precedendo as forças terrestres, reconhecendo, provendo segurança e realizando manobras envolventes e profundas. Além disso, suas características de flexibilidade, ação de choque, comunicações amplas e flexíveis, potência de fogo e proteção blindada lhe conferem, atualmente, papel decisivo no campo de batalha tridimensional e não linear cada vez mais letal e dinâmico.

 

O SÍMBOLO DA ARMA DE CAVALARIA

          Composto por duas lanças cruzadas com bandeirolas e um laço de fita no cruzamento, foi adotado no início do século vinte como símbolo da Cavalaria. A lança, arma branca de choque, foi utilizada na primeira metade do século XIX pelos Lanceiros Alemães, pelos Guaranis das Missões, pela Cavalaria Ligeira e Guarda Nacional do Rio Grande do Sul. As demais Unidades da Arma, desdobradas no restante do País, naquele mesmo período, eram armadas com espada, clavina e pistola. A lança passou a ser o armamento padrão das praças de Cavalaria somente no final do 2° Reinado, por volta de 1880. Como armamento, a lança continuou a ser utilizada pela Cavalaria até o início da 2ª Guerra Mundial. A partir da década de cinquenta, seu uso foi declinando, tornando-se armamento empregado apenas no cerimonial militar.

 

O PATRONO DA ARMA

MARECHAL-DE-EXÉRCITO MANUEL LUÍS OSÓRIO - O MARQUÊS DO HERVAL.

 

           O Legendário Manoel Luís Osório nasceu em 10 de maio de 1808, na antiga Vila de Santo Antônio do Arroio, hoje Município de Osório, no Rio Grande do Sul. De soldado a marechal fez-se presente em todas as campanhas travadas pela manutenção e configuração de nossas fronteiras sul e oeste, desde a Independência até a Guerra da Tríplice Aliança. Foram ao todo nove campanhas, sendo na Batalha de Tuiuti, em maio de 1866, o ápice da sua trajetória. Osório revelou-se, no campo de batalha, talhado para o comando, um chefe que fascinava seus subordinados e que, pelo exemplo, empolgava e arrastava como nenhum outro jamais conseguiu em tão alto grau.

           Homem simples, de coração honrado, por seu próprio mérito ganhou todos os reconhecimentos dentro do exército e na esfera civil. Osorio, o Marquês do Herval, sempre teve o sangue cavalariano correndo em suas veias e isso lhe oferecia grande poder de liderança sobre seus homens e o respeito de seus pares e superiores. Em todas as campanhas de que participou (da Independência, Cisplatina, Farrapos, de Rosas, do Uruguai e Paraguai) ao longo de toda a carreira, de Alferes a Marechal, tornou-se um profundo conhecedor do soldado patriota e dos ardis do inimigo. Também exerceu diversas funções, sendo a mais importante a de comandante do exército na guerra contra o Paraguai.Condutor de homens por excelência e habilíssimo em aproveitar as propriedades do terreno, foi escolhido como Patrono da Arma de Cavalaria, por encarnar em vida os ideais de coragem, arrojo e habilidade no combate, inserindo-se, assim, na História do Brasil, como um de seus personagens mais significativos na galeria dos imortais heróis do nosso país.
          Depois de tão bela carreira e de ter comprovado seu caráter, faleceu no dia 4 de outubro de 1879.

                                                  "É fácil a missão de comandar homens livres, basta mostrar-lhes o caminho do dever."

 

A CAVALARIA NOS DIAS ATUAIS

          A Cavalaria é hoje uma arma base do Exército, do sistema operacional manobra, caracterizada pela alta mobilidade, elevada potência de fogo, ação de choque, proteção blindada e sistema de comunicações amplo e flexível. Atua além da vanguarda, reconhecendo, protegendo e engajando o inimigo com seus meios blindados e mecanizados e utiliza para estes fins a mail alta tecnologia da guerra.


 

O CURSO DE CAVALARIA

 

No CPOR/R, o aluno aprende das tradições da Cavalaria hipomóvel, às características técnicas e táticas dos veículos sobre rodas e sobre lagartas de dotação do Exército Brasileiro, com ênfase na teoria e prática do emprego das frações elementares (peça, esquadra, grupo, seção e pelotão) e dos esquadrões de Cavalaria. Desta maneira habilitando o concludente a ingressar no Corpo de Oficias da Reserva de 2ª Classe como Aspirante-a-Oficial da Arma de Cavalaria e a prosseguir em sua formação no Estágio de Instrução e Preparação para Oficiais Temporários (EIPOT).Para tal, são ministradas, além das disciplinas versando sobre o emprego tático da arma, matérias como comunicações, topografia, equitação, patrulhas, operações de garantia da lei e da ordem, armamento e viaturas orgânicas da arma, além de administração militar, instrução geral, treinamento físico militar e história militar, que são comuns a todas as armas.Durante a formação no curso são desenvolvidos valores como a ética, a moral e a disciplina, aliada ao culto às tradições do Exército Brasileiro e da Arma.

DISCIPLINAS CURRICULARES:

  • Comunicações;

  • Técnicas e Patrulha;

  • Metralhadora Leve Calibre 7,62 “MAG”;

  • Canhão 90 mm – Viatura Blindada de Reconhecimento “ Cascavel”;

  • Morteiro 81 mm;

  • Metralhadora Pesda “.50”;

  • Cartas Topográficas, Equipe de Orientação e Calcos;

  • Maneabilidade do Pelotão de Cavalaria Mecanizado;

  • Organização das Unidades de Cavalaria;

  • Reconhecimento;

  • Segurança;

  • Ofensiva;

  • Defensiva;

  • Operações de Garantia da Lei e da Ordem e;

  • Equitação.

ATIVIDADES DURANTE O CURSO

 

Instruções de Equitação.

 

 

Visita ao 10º Esqd C Mec

 

Competição de Orientação.

 

Operação Boina Preta em conjunto com o 16°RCMec

 

Operação Boina Preta em conjunto com o 16°RCMec

 

Operação Boina Preta em conjunto com o 16°RCMec

Olimpíadas do CPOR/R

 

Entrega das Esporas

 

 

 

 

 

Ouvir a canção da Arma de Cavalaria:

Fim do conteúdo da página