Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial > Intendência
Início do conteúdo da página

Intendência

Acessos: 5321

O SERVIÇO DE INTENDÊNCIA

 

O Exército Brasileiro é constituído por um sistema integrado em que seus membros estão divididos em diversas especializações, cada qual responsável pela execução de uma atividade. Essas atividades, via de regra, é que definem toda a carreira militar desses indivíduos.

A divisão dessas especializações é definida pela Arma, Quadro ou Serviço a que pertence o militar do Exército. Embora todos os militares sejam Combatentes Individuais Básicos, as Armas englobam o militar combatente por excelência, vocacionado diretamente para a atividade-fim da Força. Os Quadros reúnem os militares que, de origem diversa, aglutinam-se dentro dessas especializações com uma finalidade geral de apoio às Armas. Por fim, há os Serviços que, como o termo indica, têm uma atividade bem definida, normalmente de cunho administrativo e logístico.

Nesse contexto, o SERVIÇO DE INTENDÊNCIA é a parte da logística militar voltada para as atividades de suprimento, transporte, serviços de apoio aos recursos humanos e administração financeira e orçamentária.

A Intendência distribui materiais diversos (uniformes, equipamentos individuais etc) e os diferentes tipos de munição e de gêneros alimentícios. Proporciona também, em operações, outros serviços como lavanderia e banho e o transporte de materiais, viaturas e pessoal.

Nas Organizações Militares, os Intendentes assessoram os Comandantes na administração financeira e na contabilidade, sendo a honestidade e a competência profissional suas características marcantes.

Incansável e tenaz, a Intendência - “A Rainha da Logística” - realiza um serviço cotidiano e ininterrupto, transportando, suprindo, alimentando e buscando oferecer as condições necessárias para que o combatente cumpra sua missão e se mantenha em operações pelo tempo necessário. A satisfação da tropa apoiada é o seu maior objetivo. Por isso mesmo, é respeitada e admirada pela sua capacidade de trabalho e, cada vez mais, é fator fundamental no planejamento e na execução de todas as missões. “NÓS DITAMOS A PERMANÊNCIA NO COMBATE! SUPRIR!”



SÍMBOLO DA INTENDÊNCIA

  

Originário da Grécia e da Itália, o acanto é uma planta espinhosa, de flores brilhantes, cujas folhas compridas, verdes e recortadas, são muito decorativas. Foram largamente utilizadas, como motivos arquitetônicos, em construções de templos e monumentos sacros. Por isso, com o tempo, a folha de acanto passou a ser associada à pureza e à honestidade.

Consta que esse simbolismo permaneceu nas legiões guerreiras de Roma. Os magistrados nomeados para cuidar das finanças militares autenticavam documentos com um sinete que tinha as características da folha do acanto. Na Ilíada, de Homero, também está registrado que, na guerra de Troia, os reis incumbiam oficiais de alta patente pela guarda e gestão dos fundos destinados ao pagamento dos soldados e das demais despesas da campanha. Esses oficiais, nos acampamentos, utilizavam a folha de acanto – por ser grande, ornamental, e, sobretudo, porque amarelava com facilidade – para identificar suas barracas. Assim, em situações emergenciais, eles eram facilmente localizados.

Finalmente, na França, para exercer a administração e controlar a ação dos chefes de exército, foram criados os Intendentes; homens que prestavam contas diretamente ao rei. A nomeação destes, para fazer revistas nos regimentos formados, para verificar existência e quantidade de homens e equipamentos, era por escolha entre os nobres de honra ilibada e pureza comprovada. E a Intendência passou então a fazer parte do quadro do Exército no país, tendo o acanto como símbolo do caráter e perfeição moral dos que lidam com o dinheiro público.

Em 1920, com a vinda da Missão Militar Francesa, foi criada a Intendência do Exército Brasileiro; que também ganhou como símbolo a folha de acanto.

 

O PATRONO

 

 

 

Carlos Machado Bittencourt nasceu na Província do Rio Grande do Sul, em 12 de abril de 1840. Filho e neto de militares, desde sua infância foi incentivado para a carreira das armas. Aos dezessete anos, assentou praça no 13º Batalhão de Infantaria, em Porto Alegre. Porém, optou pela Cavalaria, onde trilhou uma carreira fulgurante, participando das principais batalhas da Guerra da Tríplice Aliança, galgando todos os postos da hierarquia militar.

Em 1897, em momento conturbado da vida do País, o Marechal Bittencourt recebeu do Presidente da República, Dr. Prudente José de Moraes Barros, o convite para integrar seu ministério, assumindo a pasta da Guerra. Nessa época, lutava o Exército, há mais de um ano, em Canudos, no sertão baiano, contra o fanatismo pregado por Antônio Conselheiro, num ambiente onde não eram reconhecidas as autoridades. Após três expedições fracassadas, o Ministro da Guerra decidiu ir ao teatro de operações, onde diagnosticou que a precariedade da cadeia de suprimento era o fator a penalizar as investidas das forças legais. Na Bahia, organizou um serviço inteligente e metódico de comboios, dando relativo conforto à tropa empenhada, tirando-a da miséria dos suprimentos, da fome e do desalento.

O drama de Canudos, no entanto, teve um epílogo mais triste. Em de 5 de novembro de 1897, no Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro, o Presidente Prudente de Moraes assistia a chegada da tropa vitoriosa, quando, inesperadamente, das fileiras do 10º Batalhão de Infantaria, um Anspeçada investiu contra a pessoa do Presidente da República, empunhando uma garrucha de dois canos.

Tendo a arma falhado, o agressor atentou contra a vida da autoridade com um punhal. Num ato de bravura, mais uma vez demonstrando a coragem e a abnegação que se encerram na alma do verdadeiro militar, o Marechal Bittencourt interpôs-se entre o assassino e o Chefe de Estado, recebendo graves ferimentos que provocaram sua morte quase imediata.

Em 1940, o insigne soldado recebeu o reconhecimento da Pátria, ao ser consagrado o “Patrono do Serviço de Intendência do Exército Brasileiro”.

 

A INTENDÊNCIA DE ONTEM, DE HOJE E DO AMANHÃ

 

A origem da Intendência se confunde com as própria origem do Exército Brasileiro, na estruturação do apoio logístico realizado para suprir as campanhas das Batalhas de Guararapes, com uma organização que remonta ao início da colonização do território nacional, onde a Metrópole mantinha um órgão denominado Vedoria da Gente da Guerra, com atribuições administrativas sobre o material bélico, de intendência e fundos.

A administração e a execução das atividades logísticas e orçamentárias do Exército passaram por diversas transformações, com importante papel na campanha da Tríplice Aliança, chegando finalmente ao Século XX com sua estruturação em um Corpo profissional e organizado. Após a 1ª Guerra Mundial, em 1919, chegou ao Brasil a Missão Militar Francesa que, entre outras realizações, teve uma participação efetiva na criação do Serviço de Intendência. Sob influência francesa, em 1º de outubro de 1920, por meio do Decreto nº 14.385, foi aprovado o Regulamento para o Serviço de Intendência, considerado a lei orgânica deste Serviço.

Atualmente, o Serviço de Intendência, dentro da estrutura organizacional do Comando do Exército, dirige ou tem participação efetiva nas atividades desenvolvidas pelas seguintes Organizações Militares :

Sistema Econômico-financeiro

Secretaria de Economia e Finanças

Diretoria de Contabilidade

Centro de Pagamento do Exército

Centro de Controle Interno do Exército

Diretoria de Gestão Orçamentária

Inspetorias de Contabilidade e Finanças do Exército

Sistema Logístico

Comando Logístico e Organizações Militares Diretamente Subordinadas

Base de Apoio Logístico do Exército

Batalhões de Suprimento

Bases Logísticas

Batalhões Logísticos

Batalhão de Dobragem e Manutenção de Paraquedas e Suprimento pelo Ar

Estabelecimento Central de Transporte

Cia de Transporte da 2ª Região Militar

Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia

Depósitos de Subsistência

Depósitos de Suprimento

Participando ativamente do processo de modernização e transformação do Exército Brasileiro, em especial nas vertentes de Economia e Finanças e Logística, a Intendência tem como visão de futuro o aumento da eficiência na Gestão dos Recursos Orçamentários e Financeiros do Exército, através da capacitação de pessoal e da criação de estruturas eficazes de gestão de recursos, trazendo como projetos piloto a Assessoria Especial de Orçamento e Finanças, o Núcleo da Diretoria de Gestão Especial e o Instituto de Economia e Finanças do Exército. Busca-se, ainda, a reestruturação da Logística Operacional para o aumento da eficiência do apoio contínuo à Força Terrestre, por meio da criação dos Grupamentos Logísticos e da modernização do ensino da Logística nas Escolas de Formação, Aperfeiçoamento e Especialização.

 

 

O CURSO DE INTENDÊNCIA DO CPOR DO RECIFE

 

Com o intuito de preencher os efetivos de Oficiais de Intendência nas diversas Unidades das regiões Norte e Nordeste, foi criado em 1942 o Curso de Intendência no CPOR do Recife, onde iniciou seu funcionamento na antiga Sede situada na rua do Hospício, ao lado do QG/7ª RM. Em 1964, houve sua interrupção de forma provisória, retornando suas atividades no ano de 1966, já situado no antigo Casarão de Casa Forte, no qual se encontra até os dias atuais.

Dando sequência às suas atribuições, o Curso de Intendência tem como missão principal formar e preparar o Oficial Temporário, de modo que desenvolva as competências necessárias para desempenhar a função de Oficial Subalterno da Subunidade de uma Organização Militar Logística, bem como as atividades de assessoramento direto ao Comandante de Unidade na área administrativa das Unidades Gestoras.

Com mais de 70 anos de existência, o Curso de Intendência do CPOR do Recife, além de forjar os futuros Oficiais Intendentes Temporários do Exército Brasileiro, deixa ainda como legado a formação dos cidadãos que virão a ser... “a voz civil do Exército na sociedade do amanhã”.

 

DISCIPLINAS CURRICULARES DO CURSO

 

Além das matérias comuns do Período Básico, como Combate e Serviço em Campanha I, Instrução Geral, História Militar, Comando, Chefia e Liderança e Treinamento Físico Militar, que buscam desenvolver as competências necessárias ao Combatente Individual Básico, os alunos do Curso de Intendência terão as seguinte matérias ministradas durante o Período de Formação e Aplicação (PFA):

Organização e Emprego da Intendência
Nessa disciplina o aluno irá conhecer o emprego do Serviço de Intendência no Batalhão Logístico, desenvolvendo a competência de comandar o Pelotão de Suprimento da Companhia Logística de Suprimento e coordenar o processo de suprimento das diversas Classes de material sob seu encargo, desdobrado em uma Base Logística de Brigada.

Administração de Material
Nessa disciplina o aluno irá conhecer as atividades sob responsabilidade do Encarregado do Setor de Material e do Chefe da Seção de Aquisição, Licitações e Contratos de uma Unidade Administrativa, desenvolvendo as competências relativas à gestão do material como recebimento, exame, descarga, registros e exploração econômica dos bens, além das atividades relativas à aquisição, licitação e contratos de bens e serviços.

Administração de Subsistência
Nessa disciplina o aluno irá desenvolver as competências relativas ao Encarregado do Setor de Aprovisionamento de uma Organização Militar, como confecção de documentação de controle, armazenagem dos artigos de subsistência, nutrologia, preparo, conservação e análise de alimentos, equipamentos de rancho, condições sanitárias das instalações e etiqueta social.

Orçamentação e Administração Financeira
Nessa disciplina o aluno irá conhecer as noções básicas relativas à Administração Pública Federal, necessárias para a execução dos atos e fatos administrativos no Setor Financeiro, desenvolvendo as competências para a gestão financeira e orçamentária da Unidade Administrativa.

 

ATIVIDADES DURANTE O CURSO

Durante o ano de instrução, integram a formação dos Alunos do Curso de Intendência, dentre outras, as seguintes atividades:

 

Escolha da Arma, Quadro ou Serviço

 

 

Instruções

 


 

 

Formaturas

 

 

Olimpíadas Escolares

 

 

 

Avaliações

 

 

Pedidos de Cooperação de Instrução

 

Treinamento Físico Militar

 

 

Exercícios no Terreno

 

 

Estágios

 

 

Atividades Extracurriculares

 

 

Confraternizações e Atividades Sociais

 

 

Exercício Inopinado - “Manda Pirão”

 

 

 

 

 

 

 

 

Ouvir a canção do Serviço de Intendência:

registrado em:
Fim do conteúdo da página